• SINCODIVES

  • LEGISLAÇÃO

  • EVENTOS

  • ESTATÍSTICAS

  • COMUNICAÇÃO

  • ESTUDOS

  • PESQUISA


Carro próprio é tendência em tempos de pandemia

Publicado em 22/07/2020

Locadoras de automóveis têm registrado o interesse de uma nova clientela que, em busca de maior proteção à saúde, quer evitar o uso de transporte público. Da mesma forma, os centros de formação de condutores (CFCS), novo nome das autoescolas, têm recebido mais jovens interessados em obter habilitação de carro e moto, para não depender de ônibus e metrô.

Para evitar o transporte público, a babá Dayana de Oliveira, de 26 anos, decidiu que chegou o momento de comprar uma motocicleta. Para isso, ela está fazendo aulas para obter a carteira de habilitação.

Por causa da pandemia, o Detran-SP está fechado para a realização de provas para concessão de habilitação. Assim que possível, Dayana pretende fazer os exames e substituir o ônibus e o metrô que pega para ir do bairro da Casa Verde, na zona norte de São Paulo, onde mora, até o Pacaembu, na zona oeste, onde trabalha.

O objetivo ao optar pelo transporte individual é diminuir a possibilidade de contágio. 'Tenho um filho de dois anos, e assim o protejo.'

De acordo com o diretor do Centro de Formação de Condutores Veja, também localizado na zona norte da capital, Fernando Atorino, a decisão de
Dayana confirma uma tendência: mais jovens estão procurando veículo próprio (carro ou moto). 'A procura de jovens (pelo curso) está sendo bem maior do que antes da pandemia', diz.

Locação. Pesquisa encomendada pela Movida revela que pessoas que nunca alugaram carros estão dispostas a experimentar a modalidade. O levantamento da locadora, que ouviu 955 pessoas nos 26 Estados da federação e no Distrito Federal, apurou que 47% dos entrevistados consideram a possibilidade de alugar um veículo, para evitar transporte de massa. A pesquisa mostrou que 54% deles nunca alugaram carro.

O comportamento reforça o sentimento de que neste momento de pandemia o transporte individual ganhou relevância, por garantir menor risco de contágio. Diretor executivo comercial e de marketing da Movida , Jamyl Jarrus informa que, em abril, logo no início da pandemia, a procura por locação caiu. Nessa fase, muitos motoristas de transporte por aplicativo devolveram os carros às locadoras, por causa da queda na procura do serviço. Ele garante que a partir de maio o movimento começou a voltar, e tem crescido desde então.

Uma das mudanças percebidas por Jarrus é que a locação de veículos, tradicionalmente forte nas grandes capitais, está ganhando adeptos também no interior do País. 'Sou do Paraná e temos percebido demanda em cidades como Maringá, Cascavel e Londrina', diz. Todas ficam no interior do Estado.

O executivo informa que a pandemia 'acelerou' a estreia de um novo tipo de serviço de locação: a do carro zero-quilômetro. Lançado há três meses, a modalidade atende clientes que querem ter a certeza de que o veículo não foi usado.

Nesse caso, o modelo mais barato da lista da Movida é o Fiat Mobi. No plano de 24 meses, a parcela é de R$ 424,60 nos três primeiros meses e de R$ 869,10 nos demais.

Jarrus informa que os cuidados com a higiene foram redobrados em todas as modalidades. Ele afirma que na locação tradicional, de carro previamente usado, a desinfecção é feita na frente do cliente.

Carro próprio é tendência em tempos de pandemia

Compartilhe:

 

 

Visitas: 25

Fonte: Fenabrave

FALE CONOSCO